Não sei como começar. Acho que “finalmente estou bem” é um ótimo começo. Na verdade, era para ser o fim. Mas, nunca segui as convenções, não é mesmo?  Acho que era isso que me tornava especial. Ao menos por um bom tempo. É que as vezes, a gente demora para se reerguer, ou para acreditar que isso é possível. Bom, sobrevivi com os mesmos planos, aliás, boa parte deles. Sempre houve muito de mim neles. Essa coisa de ser intensa faz parte de mim. Sempre fez. Talvez a culpa em parte tenha sido minha e quem diria, eu sobrevivi para aceitar isso. A gente amadurece e eu cresci muito nos últimos anos. Cresci tanto que não me vejo mais  com os mesmos erros, não seria tão medrosa, tão intensa, tão insegura. Quem sou hoje olharia  bem nos meus olhos do eu do passado e diria: ” Garota, não é desperdício de tempo, estou orgulhosa. Você conseguiu” e a abraçaria forte, era disso que eu precisava. Mas, tudo saiu de controle, havia rancor demais e ele sufoca, magoando principalmente quem o guarda. Era para ele ter ido com tudo que foi jogado fora. Às vezes, a limpeza tem que ser feita por dentro. É, eu aprendi a lição. Era uma preparação. Naquele momento eu não apostaria nisso, mas hoje é meu diagnóstico. Se a dor ensina, você precisa experimentar o perdão, principalmente a si mesmo. Aprendi mais sobre mim neste período do que em qualquer outra fase da minha vida. Descobri que corações partidos podem se reconstruir se lhea for dada a atenção correta, que é possível amar sem esperar nada em troca e que existem pessoas que realmente tem o dom de fazer outras sorrir. Aquele silêncio deu lugar a sorrisos não esperados e aquele abraço por muito tempo guardado encontrou um lugar para chamar de seu. A ansiedade deu lugar a paciência e a mágoa floresceu, virou nuvem.Obrigada.

Facebook Comments

23 anos. Cristã SUD (Mórmon). Casada. Mestre em Educação. Blogueira por paixão. Ama música, moda e maquiagem.

One thought on “Florescer 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.