Vamos falar de gratidão

Vamos falar de gratidão. Talvez porque eu simplesmente esteja sufocando. Talvez porque seja realmente necessário falar. O mundo está cada vez mais cheio de pessoas enfeitadas e almas vazias. Eu diria ingratas também, principalmente. Tenho lá minhas dúvidas. Talvez só tenhamos desaprendido a agradecer. Mas, meu medo é que não saibamos o caminho de volta.

Antigamente as pessoas olhavam umas para as outras nos olhos. Hoje em dia, de cima para baixo em busca de algo que a faça se sentir soberana. Ou talvez em busca de algo que não a faça se sentir diminuta. Estamos sempre em busca de superar, não a nós mesmos, mas os outros e não importam os meios. Importa chegar o topo e topo se justifica. O topo justifica a ingratidão. Vivemos em uma ampla rede em que todos estamos conectados, mas a individualidade tem se sobressaído. Achamos que somos deuses de si e de todos. E esquecemos de estender as mãos.

Esquecemos de reconhecer que nada foi possível sozinho. Antes, estendíamos a mão para ajudar. Agora, estendemos para se certificar que o outro está a uma distância considerável…atrás de nós. Falamos mal de quem nos ajuda e (pasmem! ) admiramos aqueles que não se importam conosco. Será que está no DNA ser tão injusto, cruel e…ingrato? Ou é apenas uma modinha? Quando nos perdemos uns dos outros?

Nossas línguas tem sido rápidas para destruir e vagarosas em consertar o mal causado. Talvez porque palavras não voltam para a boca de quem as proferiu. Na verdade elas se alastram destruindo e ferindo por onde passam. E nós nunca teremos noção do que causam, até que um dia, as palavras de outra pessoa venham nos atingir. Então, veremos o quanto de maldade podemos espalhar. Um círculo vicioso em que parece não estarmos dispostos a ceder. Afinal, ninguém quer sair por baixo.

Aos poucos, percebemos que algo precisa ser feito. Mas, talvez o outro é quem deva começar. Sempre olhamos para os lençois sujos do vizinho no varal, quando na verdade, são as nossas janelas que estão sujas.

Facebook Comments

23 anos. Cristã SUD (Mórmon). Casada. Mestre em Educação. Blogueira por paixão. Ama música, moda e maquiagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.